Oportunidade única para estudantes

Boa notícia logo na segunda-feira. Acho  o esforço da YoungNetwork de lançar o projecto Jovens Consultores de Elevado Potencial muito louvável e indica a preocupação (pelo menos de alguns) do sector em renovar e rejuvenescer os quadros das empresas além de tentar mostrar um pouco da realidade para os estudantes. Afinal, todos sabemos que o ambiente “real” é completamente diferente do ambiente universitário.

Quem me dera que o Noticiare, ao inves de apenas um blog, fosse uma pequena agência, para poder colaborar e ensinar o pouco que venho aprendendo, principalmente, no que diz respeito à comunicação e relações públicas direccionadas para a internet. Aguardo ansiosa para ver quais serão as palestras e conferências, quais serão as consultoras interessadas em fazer parte do projeto.

Apenas uma sugestão, após terminados os dois ou três meses de “internato” dos jovens estudantes, seria interessante que pudessémos perceber a opinião dos jovens participantes e também de seus tutores sobre o projecto. “Puxando a sardinha” para minha área, que tal um blog em que pudessem ser publicados todos os desafios, novidades, progressos frustrações, diferenças entre as lições da universidade e “mundo real” ? Inclusive para dar uma luz sobre o que pode acontecer e quais os pontos a serem melhorados e mantidos em todo o projecto para os próximos participantes.

Aos estudantes: fiquem atentos pois, segundo conta, as selecções nas universidades estão prevista para Junho.

Para quem quiser saber mais sobre o projecto – directo da fonte – ou na apresentação

Domino’s Pizza enfrenta crise

Como é mais que normal neste blog, uma crise nunca vem desacompanhada. Esta semana começou logo no feriado de páscoa com a crise da Amazon e segue com grave crise enfrentada pela Domino’s Pizza nos últimos dias.

No caso da Domino’s Pizza, uma dupla de funcionários de um dos restaurantes publicou um video no YouTube que correu o mundo em apenas meia hora e provocou um enorme problema para a marca. As acções para dar uma resposta rápida à indignação de consumidores e clientes exibiram esforços conjuntos dos departamentos de relações públicas e jurídico da rede de pizzarias.

Domino's Pizza, LLC
Image via Wikipedia

No final, não se deram por vencidos, prometeram agir rápido (e o fizeram) ,explicaram os factos, desculparam-se pela má conduta dos antigos colaboradores e reforçaram a ideia de que tais colaboradores não compartilham dos mesmos valores e padrões de qualidade da marca.

Mas resta saber até que ponto foi controlado o estrago, se a confiança dos consumidores pode ser recuperada e como. O vídeo e a repercussão continuam a todo vapor na internet, de rede social em rede social, e parece que o seu poder viral ainda não foi diminuído. Só eu (com poucos seguidores/seguidos) no Twitter em dois dias pude contabilizar mais de 100 mensagens sobre o “Efeito Dominó”.

Para ver o vídeo e acompanhar o que de facto aconteceu temos um artigo como estudo de caso no blog de Brian Solis.

UPDATE: Resposta em video do presidente da Domino’s Pizza.

UPDATE2: Outro artigo com todo o estudo de caso, desta vez, no ReadWriteWeb

Reblog this post [with Zemanta]

Ninguém está “livre” do Twitter – Mais um estudo de caso

O feriado prolongado da Páscoa trouxe-nos mais um estudo de caso sobre a gestão de crise na era das medias sociais. Desta vez o protagonista foi o gigante livreiro Amazon que teve de lidar com o poder do Twitter na criação e propagação de crises de relações públicas.

Desta feita o autor Mark Probst iniciou uma feroz investida contra o site da Amazon no Domingo à noite.

He had noticed that his book The Filly, though still listed on Amazon’s US website, had lost its sales ranking data and was no longer appearing in relevant searches.

Isto divertiu Bill Thompson, jornalista independente e comentador regular do site da BBC que escreveu um artigo sobre todo o caso e ainda afirmou:

My holiday entertainment was provided by typing ‘amazonfail’ into the Twitter search engine and watching the stream of outraged posts about the company that used to be the world’s favourite bookstore flow across my laptop screen.

Todos os detalhes, respostas da Amazon, e desfecho do caso podem ser conferidos aqui

Reblog this post [with Zemanta]

Pagar ou não pagar?*

twitter-cash

Na semana passada a versão digital do New York Times publicou um artigo muito interessante em que analisa a necessidade das celebridades contratarem equipas de “profissionais do Twitter“, para actualizar suas contas. Ao mesmo tempo teve muita repercussão a reportagem publicada, online, no site do Wall Street Journal sobre a contratação de um “twitter” brasileiro, Marcelo Tas, pela Telefónica para fazer publicidade ao novo serviço oferecido pela empresa no Brasil.

No artigo do New York Times o autor defende que instituições, empresas e marcas podem e devem utilizar-se de equipas de “profissionais do Twitter” para actualizar as mensagens, até por saberem e conhecerem melhor como funciona a comunicação institucional. Eu completaria ainda com a utilização sim, não sem antes terem o cuidado de conhecer e saber utilizar correctamente a nova ferramenta. Ou seja, o importante é não cair no erro de fazer spam, não se pode simplesmente fazer publicidade, tem-se de transmitir mensagens que são do interesse dos seguidores e ainda agreguem algum valor à discussão da comunidade.

Mas as celebridades contratarem profissionais para fazer a actualização, como diz o artigo, não faz sentido pelo simples motivo de que não é transparente e nem honesto. Quando escolhemos alguém para seguir no Twitter queremos saber o que a pessoa pensa, quais as ideias que defendem, quais os sites de que mais gosta, e o que acha interessante. É este o objectivo das redes sociais e de toda a partilha que o conteúdo gerado pelo utilizador nos pode proporcionar.

Acompanho a Presidência da República e a RTPN, dois dos exemplos de contas do twitter “alimentadas” por equipas de profissionais. O primeiro conta com profissionais de comunicação que enviam links para press releases sobre os acontecimentos importantes protagonizados pelo Presidente da República. O segundo é “alimentado” pela equipa de jornalistas que faz e apresenta o “À noite as notícias” e são assinados por quem manda a mensagem do Twitter – João Adelino Faria, Carlos Daniel, Alexandre Brito ou Daniel Catalão.

O envio de mensagens não incomoda e pode até revelar-se muito útil nestes dois casos. Já para as celebridades acompanho, entre outros, Ana Bacalhau (vocalista dos Deolinda) e David Fonseca dois músicos que actualizam pessoalmente as respectivas contas de Twitter. O mesmo vale para Nuno Markl, utilizador do Twitter com mais seguidores no pais (segundo dados do Twitter Portugal). Acho que não faz sentido que contratarem equipas para actualizar as mensagens, soa a falso e não é tão transparente simplesmente porque o objectivo do Twitter é a interacção entre os participantes de modo muito mais directo que em qualquer outra rede social.

Mas este é um tema que não fica por aqui, há muito ainda para ser discutido e aprendido em relação a como gerir e actualizar contas com potencial “comercial” enquanto o Twitter ainda não decide qual vai ser o seu plano de negócios. Por enquanto ficamos com a discussão do Pagar ou não pagar?

*Publicado originalmente no blog  Twitter Blog 
Reblog this post [with Zemanta]