Morreu ou não morreu?

Esta semana está cheia de posts em blogs portugueses, e não só, sobre Comunicação e Relações Públicas que discutem o fim da profissão de RP.

O primeiro veio daqui.

Que foi linkado e completado com este (que prova bem como os que anunciam o fim das RP de nada entendem sobre comunicação).

Mas foi analisado e exemplarmente respondido aqui.

Diga-se de passagem dos blogs portugueses de comunicação e RP não se pode mesmo esperar muita discussão, apenas partilha, mas ok, já é um começo.

Se quiserem mais links internacionais, tenho ainda este, que pode ser interessante também.

Assim podem decidir se a profissão de RP morreu ou não morreu 😉

Anúncios

Há muito tempo que não via um post assim

Ultimamente tenho andado na correria e por isso tenho apenas lido de relance muitos artigos e posts que reflectem e repetem mais do mesmo – Há que alterar o modo como é feita a publicidade, o marketing e as relações públicas, mas na prática, aqui em Portugal não tenho visto muitos exemplos práticos.
Por isto estou sempre a procura de coisas interessantes e ideias vindas de fora, mas mesmo assim, com esta coisa toda da crise, sinceramente há muito tempo que não via um post assim. Para não variar é do Brian Solis e vale muito a pena a leitura. É uma aula sobre o futuro. Guardem nos vossos bookmarks.

Mais dois artigos importantes

Parece que a semana está mesmo agitada. Apresento mais dois artigos interessantes. O primeiro é uma notícia do Jornal Briefing sobre o estudo da Hill & Knowlton que diz que os blogs exercem cada vez maior influência junto dos decisores tecnológicos. E aqui eu complementava dizendo que não só os blogs mas TODAS as medias sociais 🙂

O segundo fala sobre a impossibilidade de se controlar a informação na internet e mostra o caso mais actual no Brasil.

Reblog this post [with Zemanta]

Nem mais!

Mais um excelente artigo, de Ceila Santos, sobre a natureza simples do relacionamento entre empresas e as medias sociais. É que me parece mesmo muito simples, óbvio, natural e instintivo que os egos por detrás de todos os autores de blogs, redes sociais, twitter, etc.  são enormes e há que saber trabalhar tal relacionamento com muito bom senso.

Eles (os bloggers) são tudo e, inclusive, podem ter o mesmo papel que os articulistas do velho jornalzão tem há séculos como podem ser apenas mais um blog/comercial/monetizado que vive de promoções e post pago.

Apenas lembrem-se de que o papel de um relações públicas sempre esteve ligado ao saber equilibrar, contornar e satisfazer egos alheios. O maior problema, actualmente, que vejo por aqui é justamente a sobreposição dos egos daqueles que devem ser contactados (empresas, jornalistas, bloggers) pelos egos dos próprios profissionais de relações públicas.

Seu papel como um RP é ler blogs.

Tem que ler ou pagar alguém pra ler e saber do que se trata aquele blogueiro. (…) basta ler os cinco últimos posts que conseguirá identificar qual é a dele, ok?

É como se os bloggers (e quem diz bloggers, diz todos os utilizadores responsáveis por produzir conteúdo) tivessem chegado tarde e por isto não são reconhecidos como possíveis agentes de interesse para as consultoras de relações públicas.

Como diz a Ceila no artigo

Eu não sei, mas ainda acho que bom senso é regra pra tudo, inclusive para relacionamento ou divulgação, seja com jornalista ou blogueiro.

Digo eu – Nem mais!

Reblog this post [with Zemanta]

Desculpas ao invés do silêncio

Nas últimas semanas tenho observado um aumento no número de mensagens mal formuladas que são enviadas através do Twitter. Empresas e colabores, sem saber como utilizar  a ferramenta, publicam mensagens das quais depois arrependem-se. Foi por isto mesmo que decidi publicar os dois Guias de uso do Twitter direccionando os artigos para os targets geral e empresas.

Mesmo assim, ainda verifico que muito do que é defendido e explicado em tantos sites e por tantos mestres de comunicação em medias sociais como, Brian Solis, Jeff Jarvis, Seth Godin, Tood Defren, Cris Brogan, Steve Rubel etc., não é aplicado pelas consultoras e pelos profissionais de relações públicas cá em Portugal.

Tanto furor e posts e reportagens e críticas sobre o silêncio de Manuela Ferreira Leite ou, outro exemplo pode ser, Pedro Passos Coelho ao enganar-se no nome de um livro e demorar a responder, nos mostram tão e somente que é necessário agir e rápido para responder às questões que circulam na opinião pública.

Acontece que a opinião pública também está presente nas medias socias (e na minha modesta opinião, é muito mais fidedigna e honesta neste meio) e por isto, o que acontece no facebook, no twitter, no hi5 etc. também precisa de rápidas respostas. Como pudemos comprovar no caso da Ford.

Outro ponto importante na comunicação com as redes sociais é admitir erros e pedir desculpas. É necessária muita coragem e humildade para proceder de tal modo e desta vez é Cris Brogan nos traz mais uma lição e nos mostra o Poder das Desculpas.

Aproveitem e aprendam, pensem sobre o caso e vão perceber que há inúmeros casos que conhecem e que poderiam perfeitamente serem resolvidos desta forma. Não custa nada e satisfaz os críticos na maioria das vezes. 🙂

Reblog this post [with Zemanta]

Afinal, depois da presidencia, vamos ao mainstream

Depois da presidencia ter anunciado que estava a utilizar o twitter, parece que, finalmente a ferramenta passou a fazer parte da rotina dos utilizadores de internet em Portugal. O anúncio foi comemorado e contestado por alguns e as críticas foram prontamente escutadas e atendidas pois além do twitter, passaram a utilizar outras redes sociais.

Chegado então, o twitter, ao mainstream os que não conhecem estão curiosos e a tentar entender como funciona e alguns apenas querem ver onde isto vai parar. Esta semana Paulo Querido publica no seu Certamente! um artigo de Raul Pereira sobre a ascensão do Twitter em Portugal que é um documento a ter em conta. Assim como a wiki do TwitterPortugal. Deem lá uma olhada e aprendam um pouco mais sobre o Twitter.

Reblog this post [with Zemanta]

A LG sabe

Pelo menos no Brasil parece que a LG sabe mesmo como utilizar-se do relacionamento com bloggers, e não só, para divulgar os seus produtos.

A nova acção é o Desafio LG. Que eu descobri pelo Twitter e que me levou ao search.

Tudo isto serve, mais uma vez, como estudo de caso, por isso acho importante o registo.

Outras acções da LG no Brasil foram:
Para as TV de Plasma – com o microsite Lorotas
Para o telemóvel Viewty – com o Safari Urbano