Excelente vídeo sobre o Facebook

A MTV estrou ontem, nos EUA, um documentário behind the scenes sobre o Facebook. De todos os vídeos diponíveis na internet o que considero melhor é este:
sobre a importância do Facebook na vida das pessoas por diferentes motivos.
Excelente PR 🙂

Mais vídeos aqui

Anúncios

Crisis Management – vale muito a pena ver :)

Mais Toyota – a acompanhar

Acabei de ver aqui que a Toyota definiu e colocou em prática a estratégia de gestão de crise que inclui uma acção na websocial com um site que agrega todos as mensagens de twitter e ainda notícias, vídeos e press releases da empresa sobre o recall e não só.
A acompanhar porque parece-me ser a melhor opção e uma excelente ideia.

O mais importante

Artigo Online sobre o que esperar para a área de relações públicas durante o ano de 2010. Na minha opinião e pelo que tenho visto ultimamente, é o melhor artigo publicado sobre perspectivas e previsões para o ano, justamente, por ter os “pés” no chão, e analisar todos os dados com a devida noção.
Destaco, logicamente, os 5 tópicos principais para o ano:

1. Realtime PR

– nada mais acertado que apostar no real! Sem as tradicionais acções de relações públicas, sem o contacto directo e troca de informações é impossível fazer um bom trabalho.

2. Lifestreaming

– Já está muito presente, mas ainda é considerado apenas um nicho. A lembrar que com cada vez mais smartphones comercializados, mais acesso móvel à internet e mais possibilidades de lisfestreaming. É portanto, normal o crescimento.

3. Location-based services

– Sempre associei os dois – livestream e location-based service – um quase não pode existir sem outro e fazer sentido.

4 Augmented reality

– a meu ver é a maior aposta para todas as marcas e empresas. É novidade, pode-se abusar da criatividade e por enquanto ainda se encontram bons trabalhos. Mas acredito que até o próximo semestre vamos estar saturados de aplicações, campanhas e acções que se utilizam da Realidade Aumentada.

5. Digital as a segmentation tool

– Esta é na minha opinião a melhor aposta entre todas, para as empresas que quiserem sobressair na comunicação de marca e no relacionamento com clientes, fornecedores e colaboradores. Quem souber explorar a segmentação tem a faca e o queijo na mão para revolucionar o mercado e abrir portas a novos negócios 🙂

Há muito tempo que não via um post assim

Ultimamente tenho andado na correria e por isso tenho apenas lido de relance muitos artigos e posts que reflectem e repetem mais do mesmo – Há que alterar o modo como é feita a publicidade, o marketing e as relações públicas, mas na prática, aqui em Portugal não tenho visto muitos exemplos práticos.
Por isto estou sempre a procura de coisas interessantes e ideias vindas de fora, mas mesmo assim, com esta coisa toda da crise, sinceramente há muito tempo que não via um post assim. Para não variar é do Brian Solis e vale muito a pena a leitura. É uma aula sobre o futuro. Guardem nos vossos bookmarks.

Estudo de caso – Ford

Via @Scott Monty

Segue um excelente documento que pode ser muito didáctico para aqueles que ainda não conhecem ou não aceitam o grande potencial que as Redes Sociais e suas ferramentas podem oferecer para acções de relações públicas e, principalmente, para a gestão de crises.

Como diz a introdução <<é uma história que deve ser lida por todos os executivos que consideram a adoção das Social Media como  ferramenta de comunicação para organizações. É um olhar detalhado sobre como a Ford Motor Company tomou uma trapalhada potencialmente embaraçosa de relações públicas e conseguiu resolve-la sistematicamente através da utilização dos novos canais de comunicação da organização.>>

The Ranger Station Fire

Reblog this post [with Zemanta]

Parece que não é só em Portugal

Que as consultoras de comunicação e empresas de relações públicas tem um certo receio das novas medias sociais. Por sugestão de uma mensagem de twitter do Paull Young descobri um artigo que faz referência à uma pesquisa da BigMouth que afirma que 89% das empresas britânicas não possuem um blogue próprio e só 21% oferece serviços de comunicação para os media social.

Só queria era entender o porquê de tanto receio com os novos meios de comunicação que já provaram ser eficazes e ferramentas muito úteis. O medo de errar é tão grande assim? Mas e o ditado “É errando que se aprende”?

Aproveito também para salientar que a discussão dos comentários ao artigo vale a pena também.